Por que você NÃO deve criar a empresa primeiro a e marca depois?

Na postagem sobre busca de anterioridade, foi abordado um ponto muito importante que é o questionamento sobre qual é o melhor momento de registrar a marca, se antes ou depois de sua criação. Isso é um erro tão comum que merece uma postagem só para ele, vamos ao assunto.

Registro de marca é algo complicado?

Não, não é. No universo da Propriedade Intelectual existe uma grande gama de assuntos complexos que podem ser tratados — mas esse não é um deles.

Vamos falar dos básicos, veja este artigo quase como um alerta de utilidade pública. 

A origem do problema

Retomando o título da postagem, de todas as coisas que você não deve fazer esta é a mais simples de todas:

Não crie a empresa e comece a usar a marca sem antes ter certeza de que ela está disponível e pode ser utilizada.

Deveríamos gravar isso em pedra.

Isso acontece por muitos motivos, existe um grande desconhecimento sobre a área, e essa é uma falha dos profissionais do setor, que informam pouco o público. Outro motivo é que a parte jurídica não é atrativa, não é ela quem “faz a empresa crescer”, o que é verdade.

Contudo, também, é verdade que a parte jurídica, se não faz a empresa crescer, é responsável por evitar que a empresa se amarre a uma bomba relógio que pode detonar a qualquer momento.

Porque não fazer isso?

O motivo é bem simples, qualquer profissional da área vai te dizer que é muito comum o cliente gastar dinheiro com logo, identidade visual, ou seja, fazer todo o trabalho de marketing e, só no final, procurar se a marca está disponível.

Isso é colocar a carroça na frente dos bois.

O que acontece é que muitas vezes o cliente vem até o profissional e depois de uma pesquisa rápida descobrimos que a marca já está em uso e que não é possível registrá-la, ou que as chances do INPI negar o pedido são muito altas.

Nesse momento somos obrigados a jogar um balde de água fria na cabeça do cliente e orientá-lo a alterar a marca.

Muitos deles já usam a marca há um tempo, ou seja, já tem certo posicionamento de mercado, isso sem contar o investimento de tempo e dinheiro na criação da identidade visual.

Para não perder esse investimento o cliente normalmente opta por continuar usando a marca, se submetendo a riscos desnecessários.

Ou seja, o cliente se colocou em um problema que poderia ser evitado em meia hora.

Para concluir

Pesquisar a marca antes de criar a empresa é o seu primeiro passo, clique aqui e descubra como fazer. Então, mãos a obra! Está ao seu alcance fazer as coisas certas.

Se tiver dúvidas consulte um profissional e pense da seguinte forma: se você estivesse doente iria a um médico, certo? Aqui vale o mesmo princípio.

Conhece outras dicas, tem alguma crítica, elogio ou sugestão? Por favor, use os nossos comentários. 

Advogado na Vilela Coelho Propriedade Intelectual e fanático por filosofia.